Iluminação | Tipo de lâmpadas | Potencial de poupança | Questões sobre lâmpadas | Conselhos |
Electrodomésticos | A eficiência começa na escolha | Etiqueta Energética | Conselhos | Bolsa |
Equipamentos | Standby e off-mode | Comprar equipamentos | Conselhos |
Climatização | Climatizar a casa | Sistemas de Climatização | Conselhos |
Renováveis | Aplicações | Tecnologias | Benefí­cios e incentivos | Certificação e garantia | Bolsa |

Iluminação - Potencial de poupança

O setor da iluminação tem vindo a melhorar a sua eficiência nos últimos anos com a introdução das lâmpadas fluorescentes compactas e, mais recentemente, com os LED. Com a introdução destas tecnologias conseguem-se alcançar reduções de cerca de 80% no consumo de eletricidade na iluminação. 

Se as lâmpadas fluorescentes compactas facilmente substituíram as lâmpadas incandescentes, as lâmpadas LED vêm em grande medida substituir as lâmpadas de halogéneo, onde as fluorescentes compactas não conseguem ser uma alternativa.

Para saber quais as lâmpadas mais eficientes à venda no mercado português, recomendamos a consulta do site Topten (www.topten.pt), que disponibiliza informação detalhada sobre os modelos mais eficientes em várias categorias.

De modo a ilustrar melhor as vantagens de substituir lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes compactas, na tabela seguinte é feita a comparação dos custos decorrentes da utilização de uma iluminação ineficiente (Incandescente) e da opção por uma lâmpada economizadora (Fluorescente compacta), num período de 5 anos.

 

 

Incandescente

Fluorescente compacta

Potência

50 W

11 W

Fluxo Luminoso

590 lm

Tempo de vida

1 000 h

10 000 h

Horas de utilização diária

4

4

Preço da lâmpada

1,15 €

6,8 €

Consumo de electricidade em 5 anos

365 kWh

80,3 kWh

Custo

59,5 €

13,1 €

(kWh a 0.1631 €)

Número de lâmpadas necessárias nos 5 anos

8

1

(com mais 700 horas de uso)

(ainda com mais 2 700 horas de uso)

Custo com preço das lâmpadas

68,7 €

19,9 €

 

 

 

Na substituição da iluminação deve-se ter em atenção vários parâmetros que são apresentados de seguida:

 

Casquilho e dimensões da lâmpada

Ao adquirir uma lâmpada de uma tecnologia diferente deve ter em consideração, para além do tipo de casquilho, se as dimensões da lâmpada são adequadas à luminária na qual pretende utilizar a lâmpada.

Fluxo Luminoso (lumens)

Na escolha de uma lâmpada deve-se ter principalmente em atenção a quantidade de luz (lumens) que a lâmpada dá, sendo apresentada de seguida a relação entre a potência das lâmpadas incandescentes e os lumens dos restantes tipos de lâmpadas, para lâmpadas não direcionais, e os lumens de referência para os vários tipos de lâmpadas direcionais.
 

Tabela para lâmpadas não direcionais

Potência da lâmpada incandescente
(W)

Fluxo luminoso da lâmpada (lm)
Lâmpada fluorescente compacta
Halogéneo
LED e outras
15
125
119
136
25
229
217
249
40
432
410
470
60
741
702
806
75
970
920
1.055
100
1.398
1.326
1.521
150
2.253
2.137
2.452
200
3.172
3.009
3.452

 (Regulamento (CE) No 244/2009 da Comissão)

 

Tabela para lâmpadas direcionais

  Tipo de lâmpada  Potência 
(W)
Referência Φ90°
(lm)
Refletores de muito baixa pressão

 MR11 GU4


20 160
35 300
MR16 GU5.3 20 180
35 300
50 540
Refletor de vidro soprado para a tensão da rede R50/NR50 25 90
40 170
Refletor de vidro prensado para a tensão da rede PAR16 GU10 20 90
25 125
35 200
50 300
PAR20 35 200
50 300
75 500
PAR30S 50 350
100 750
PAR38 60 400
75 555
80 600
100 760
120 900

 (Regulamento da Comissão (UE) Nº 1194/2012)

 

Ângulo de abertura do fluxo luminoso

O ângulo de abertura do fluxo luminoso é um parâmetro importante principalmente nas lâmpadas direcionais (habitualmente designados de focos). É este parâmetro que indica se a lâmpada vai iluminar uma maior ou menor área do local onde vai ser colocada. Quanto menor for o ângulo de abertura menor vai ser a área iluminada.

 

Classe de eficiência energética

Desde dia 1 de setembro de 2013 que entrou em vigor a nova etiqueta energética. Na qual poderá encontrar informação acerca da classe de eficiência energética, bem como o consumo de energia.



Tempo de vida útil

Ao fazer contas ao custo de uma lâmpada deverá ter em consideração tempo de vida útil da mesma, ou seja qual o período em que esta funciona corretamente.

De seguida são apresentados os tempos de vida útil médios para os principais tipos de lâmpadas para uso doméstico.

 

Tipo de lâmpada Tempo de vida útil
Lâmpadas fluorescentes compactas (LFC)  6.000 – 15.000 horas
Lâmpadas fluorescentes tubulares  6.000 – 15.000 horas
Díodos Emissores de Luz (LED) 20.000 – 45.000 horas
Lâmpadas de halogéneo 5.000 horas
Lâmpadas incandescentes 1.000 horas

 

Temperatura de cor

As lâmpadas fluorescentes compactas e as lâmpadas LED emitem luz de diferentes temperaturas de cor, ao contrário das lâmpadas incandescentes que apresentavam sempre luz quente (2700K). Assim, na escolha de uma lâmpada devemos ter em consideração o local onde será utilizada para optar pela tonalidade da luz emitida pela mesma. Para zonas onde se pretende relaxar deve optar-se por “branco quente” (2700K), no caso de zonas de trabalho a escolha deve incidir sobre os brancos neutros/frios (mais de 4000K).
 

 

Temperatura de funcionamento

Deve ter em consideração a temperatura de funcionamento da lâmpada uma vez que as lâmpadas fluorescentes compactas e lâmpadas LED são mais sensíveis a este parâmetro.

 

Resistência aos ciclos de ligar/desligar

Se optar por uma lâmpada fluorescente compacta para um local com uma grande frequência de ciclos de ligar/desligar, como por exemplo corredores, deve ter em atenção a capacidade de ciclos ligar/desligar da lâmpada a adquirir.


 

Tempo de aquecimento

Ao adquirir uma lâmpada fluorescente compacta deve ter em consideração o tempo que esta demora a aquecer, ou seja a atingir a luminosidade máxima. Hoje em dia este tempo é cada vez menor.


Regulação da intensidade

Se pretende colocar a lâmpada numa luminária com regulador de intensidade (reóstato) deve procurar na embalagem o ícone que indica se a intensidade da lâmpada pode ou não ser regulada.



 

Actualização: Fevereiro 2014

 

Outros projectos Energia por míudos

:: CONSELHOS

No Verão o exaustor ajuda a retirar o calor da cozinha, causado pelo uso do fogão e do forno, diminuindo as necessidades de arrefecimento da casa com a ventoinha ou o ar condicionado.


HOME | DOCUMENTAÇÃO | LINKS | GLOSSÁRIO | CONTACTOS | Site desenvolvido por: