Mobilidade | Mobilidade Suave | Transportes colectivos | Partilha de viaturas |
Veículos | Combustão Interna | Veículos alternativos | Zonas de Emissões Reduzidas |
Componentes | Filtros de partículas | Catalisadores | Pneus |
Combustíveis | Biocombustíveis líquidos | Biomassa | Biocombustíveis gasosos | Combustíveis tradicionais |
Ruído | O que é | Efeitos na saúde | O que fazer | Contatos úteis | Conselhos |
Conselhos | Planeamento da deslocação | Na condução | Ar condicionado | Manutenção |

Conselhos - Manutenção

Gerais     |     Filtros de partículas     |    Catalisadores

 


Gerais

  • Ao abastecer, não encha excessivamente o depósito. Desta forma evita derrames e reduz os consumos provocados pela pressão;
     
  • Verifique se a pressão dos pneus do veículo é a recomendada pelo fabricante. Uma pressão inferior em 0,5 bar, aumenta o consumo de combustível em 5%, provocando um desgaste acelerado dos pneus;
     
  • Escolha pneus de qualidade, pois diminuem a resistência à estrada sem pôr em causa a segurança, reduzindo o ruído e poupando combustível;
     
  • A manutenção e revisão adequadas (mudanças de filtro de ar e de óleo, escolha apropriada do lubrificante), de acordo com as normas do fabricante, melhora os desempenhos energéticos, ambientais e de segurança do veículo;
     
  • Quando comprar pneus novos, entregue os usados no concessionário ou oficina onde os comprou. Estes poderão ser recauchutados, reciclados ou valorizados energeticamente. Se preferir trocá-los sem recorrer a um mecânico, leve os usados para um ecocentro;
     
  • O proprietário é responsável pelo destino adequado de um veículo em fim de vida. Deve por isso entregá-lo num centro de recepção ou desmantelamento autorizado recebendo um certificado de destruição;
     
  • As baterias usadas do carro devem ser entregues no local de compra das novas. Se pretende desfazer-se das baterias velhas sem adquirir novas, entregue-as num ecocentro;
     
  • Os óleos lubrificantes do veículo devem ser entregues no local de compra de novos, em oficinas autorizadas ou nos ecocentros que os recebem.

| Topo |

 


Filtros de partículas

O filtro de partículas obriga o condutor de um veículo a gasóleo a manter alguns cuidados para garantir o seu bom funcionamento e diminuir custos de manutenção deste equipamento:

  • Aconselha-se sempre a leitura do manual de instruções do seu veículo para verificar quais os procedimentos correctos a adoptar para não danificar o filtro de partículas antes do seu prazo de substituição;
  • Evite alterar as configurações de origem da centralina do seu veículo porque podem afectar o funcionamento do filtro de partículas;
     
  • Não retire o filtro de partículas do seu veículo, se ele vier instalado de origem;
  • Evite fazer muitos percursos urbanos (com paragens e arranques sucessivos e a baixas velocidades) e utilizar com pouca frequência o seu automóvel. Nestas duas situações, os filtros de partículas podem não atingir a temperatura ideal para serem regenerados e voltarem a reter mais partículas, o que leva a uma perda de eficiência do motor e consequente aumento do consumo de combustível bem como uma maior probabilidade de bloqueio do filtro;
  • Numa utilização média em estrada, o aviso do painel eléctrico poderá acender-se de 500 em 500 km, mas no dia-a-dia em cidade, poderá acender-se até 10 vezes mais. Se tiver um aviso indicativo de bloqueio do filtro de partículas no painel eléctrico, deve assim que possível, conduzir no mínimo dez minutos a velocidades superiores a 70 km/hora para que o filtro recupere a sua capacidade de auto-regeneração. Assim que a regeneração do filtro termine, a luz do painel é apagada e poderá voltar ao modo de condução normal;
  • Não ignore o aviso do painel eléctrico sobre o filtro de partículas e o procedimento anterior para a sua regeneração. Se o aviso persistir, deve dirigir-se a uma oficina automóvel especializada para ser feita a regeneração do filtro ou, se for caso disso, a substituição por um filtro novo;
     
  • O prazo de utilização do filtro de partículas pode variar entre 7 a 15 anos e/ou entre 150.000 a 200.000 km, conforme os modelos de veículos. Quando o filtro de partículas já não consegue regenerar-se automaticamente, ou existe uma avaria no motor ou nos sensores, o filtro deve ser substituído.

| Topo |

 


Catalisadores

O catalisador é o equipamento responsável pela transformação dos gases poluentes lançados na atmosfera pelo escape do veículo em substâncias não tóxicas e, por isso, merece alguns cuidados especiais para sua manutenção:

  • Não desligue o motor com o veículo em movimento;
     
  • Não pise várias vezes no acelerador antes de ligar o veículo;
     
  • Evite deixar o tanque de combustível esvaziar completamente ou andar com pouco combustível;
     
  • Não altere o lubrificante do motor e a frequência recomendada pelo fabricante do veículo para a sua substituição;
     
  • Não utilize combustíveis de fraca qualidade e com aditivos;
     
  • A presença de mau cheiro pode ser sinal de que o catalisador do veículo não está correctamente regulado;
     
  • Não estacione o veículo sobre mato ou folhas secas, pois mesmo com a ignição desligada o catalisador continua a emitir calor, podendo gerar um incêndio;
     
  • Não permita a entrada de água pelo escape do veículo;
     
  • Esteja atento a ruídos estranhos dentro do catalisador, porque podem indicar que precisa ser substituído;
     
  • Verifique se existe uma perda de potência e um aumento do consumo de combustível do veículo. Se existirem, podem estar relacionados com o entupimento do catalisador;
     
  • Verifique e efectue a manutenção regular do motor (sobretudo o sistema de ignição);
     
  • É recomendável substituir o catalisador a partir dos 80 mil quilómetros.
     

| Topo |

 

Atualizado: 16/10/2012
 

Outros projectos  

:: CONSELHOS

Verifique se a pressão dos pneus do veículo é a recomendada pelo fabricante. Uma pressão inferior em 0,5 bar, aumenta o consumo de combustível em 5%, provocando um desgaste acelerado dos pneus.


HOME | DOCUMENTAÇÃO | LINKS | GLOSSÁRIO | CONTACTOS | Site desenvolvido por: